| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

Cães*
Desde: 06/12/2010      Publicadas: 26      Atualização: 10/04/2011

Capa |  Noticías


 CÃES

  07/12/2010
  0 comentário(s)


Schnauzer

LEIA MAIS

SchnauzerSchnauzer é um tipo de cachorro alemão. A palavra Schnauze, em alemão, significa "focinho", e o
cão é assim chamado devido ao formato de seu crânio, longo e forte.
Os schnauzer são divididos em três variedades, de acordo com seu porte:
Schnauzer miniatura
Schnauzer standard, ou schnauzer padrão
Schnauzer gigante

Schnauzer miniatura

O schnauzer miniatura (Zwergschnauzer, em alemão) é uma raça originária da Alemanha,
descendente de antigos cães do tipo terrier, embora também tenha sangue de affenpinscher nas
veias. A raça foi desenvolvida a partir da seleção genética de exemplares do schnauzer standard,
cruzada com terriers pequenos, resultando num cão menor, idêntico ao 'original', sem os defeitos
do nanismo. Muito ativo e excelente caçador de roedores, essas características fizeram o schnauzer
ser popular entre os antigos fazendeiros alemães.
Aparência

Altura entre 30 e 35 cm e peso de 4 a 8 kg (tanto para machos quanto fêmeas), sendo que o
nanismo é considerado um defeito. Cabeça longa, focinho forte com trufa bem desenvolvida e preta.
A mordedura deve ser em tesoura, olhos escuros e ovais. As orelhas podem ser operadas em
ponta e a cauda pode ser cortada na terceira vértebra, nos países que permitem tais práticas.
Pelagem dura e áspera. Forma uma sobrancelha espinhosa e barba.
É incontestável que, no começo, o schnauzer miniatura foi desenvolvido usando-se a técnica do
"breeding down", ou seja, reduzindo o tamanho do schnauzer standard cruzando-o com várias
outras raças de cachorro. Não se sabe ao certo qual, ou quais as raças usadas no decorrer do
processo, mas possíveis candidatos seriam os affenpinschers, poodles, griffon de Bruxelas e
pinscher miniatura. Há especulações acerca do uso do Pomeranian, entre outras raças "toys".
A intenção original era criar uma versão reduzida do schnauzer standard, inclusive quanto as suas
características psicológicas (temperamento, instinto para caça e guarda) e físicas (coloração e
porte).
Na raça, as cores aceitas pela FCI são:
Sal e pimenta
Preto
Preto e prata
Branco
O preto e branco são os é mais raro e seu valor comercial pode ser o dobro do sal e pimenta, que é
a mais comum. O preto e prata surge quando os criadores passam a criar as duas cores originais
juntas, sendo resultado do cruzamento do sal e pimenta com o preto. A partir daí, a coloração preto
e prata passa a ser considerada uma variação única, geneticamente falando.

Temperamento

Muito obediente, afetuoso, adestrável e simpático, é de uma fidelidade inquestionável em relação
ao seu dono. Sente-se quase um humano, detesta ser ignorado e procura sempre 'tomar parte' nas
conversas que acontecem em sua presença. Relaciona-se bem com crianças e outras raças de
cães, desde que estes não tentem entrar em seu território. Não é um cão silencioso. Late para
chamar a atenção quando se sente desprezado e para dar alarme quando ouve sons estranhos, o
toque de campainha ou qualquer outro som que anuncie a chegada de alguém na casa. Adora
companhia, detesta ficar só e, por isso, está sempre no mesmo ambiente da casa em que está seu
dono.
É uma das melhores raças para viver em apartamento, pois é um cão que não se importa com o
tamanho da casa, desde que esteja sempre ao lado de seu dono. Além disso, é muito higiênico e
aprende rápido a fazer suas necessidades nos lugares determinados (jornais ou tapetinhos
higiênicos), ou apenas durante os passeios (sendo necessário um passeio por dia, no mínimo).
A inteligência e a incrível coragem do Schnauzer são duas fortes características desta raça. Na
Alemanha, seu país de origem, alguns criadores o descrevem como o "Cão de Cérebro Humano".
De acordo com Stanley Coren, a inteligência dos cães pode ser medida com relação à sua
obediência e ao seu trabalho, porém a inteligência instintiva não esta em questão. Em seu livro "A
inteligência dos Cães" da editora Ediouro, Stanley Coren dividiu os cães em 6 grupos. O schnauzer
foi classificado no grupo dois.
São excelentes cães de trabalho. O treinamento de simples comandos são normalmente
assimilados depois de 5 a 15 repetições. Os cães lembram destas ordens muito bem embora
possam melhorar com a prática. Eles respondem ao primeiro comando em cerca de 85% dos
casos, ou mais. Em caso de comandos mais complexos é possível notar, ocasionalmente, uma
pequena demora no tempo de resposta, mas que também pode ser eliminada com a prática
destes comandos.

Utilidade

Possui o mesmo temperamento dos demais Schnauzer, rateiros e ótimos para vigia e companhia.
Pode inclusive viver em apartamento, desde que seja levado para passear diariamente.
São instintivamente atraídos por coisas que se movimentem rápido, pois eram utilizados como
cães de caça. Animais como ratos, baratas e até mesmo cães menores viram alvo de suas
"brincadeiras" de gato-e-rato.

Relação com o dono

O schnauzer é uma raça muito amiga, e na infância, muito ativa. Eles adoram quando ficam no
colos das pessoas, e principalmente, precisa de uma companhia. É calmo e simpático, e trata com
carinho suas visitas e companhias. O schnauzer adora carinho e odeia mau tratos. Late só para
vizinhos raramente e durante a noite, nada. Mas alguns são muito nervosos, dependendo do
temperamento de seus pais.

Saúde

Em geral costumam ser cães saudáveis, entretanto, é preciso de mais atenção com os schnauzers
depois de adultos pois costumam apresentar problemas renais. Para isso é importante controlar o
tipo de alimento, a quantidade de água ingerida e especialmente a frequência com que urinam. O
schnauzer nescessita ser escovado, pois seus pelos, quando não cuidados se embarasam e se
inozam, sendo difícil pentear.


História

A variação schnauzer miniatura branco ainda está surgindo. É uma variação relativamente nova.
Não se tem todos os registros dos schnauzer por que alguns deles foram destruídos durante as
guerras mundiais. O primeiro registro do nascimento do branco data de 1948 quando nasceu a
fêmea Branca, Dixie v. Grunewald, na Alemanha. Ela foi filha de dois Schnauzer Miniatura Pretos,
Zecher v. Schoenhardt e Asta v. Grunewald. O primeiro dono oficial de schnauzer era um garoto
chamado Mathias Rocha Conrad, morador do Brooklin
A permissão de registrar ninhadas de Schnauzer Miniatura Branco começou em 1949 como forma
experimental, sendo permitida sem ressalvas em 1968. A cor Branca foi oficialmente introduzida no
Padrão em 1979.

Schnauzer standard

O schnauzer standard é o menos conhecido entre os três tamanhos do schnauzer e o que
podemos chamar de "original", pois foi ele que deu a origem ao gigante e ao miniatura. Trata-se de
uma antiga raça alemã, que nos séculos XV e XVI devia gozar de grande popularidade, pois era
muito encontrado em retratos da época.
A impressão geral é de um cão robusto, quadrado, forte, compacto, alerta e inteligente. Com a
pelagem dura e com supercílios e barbicha. Sua natureza combina com seu temperamento vivo
com inteligência e honestidade incomum.

Origem

O schnauzer standard se originou do cruzamento do poodle alemão preto e do wolfspitz com o
pinscher pêlo duro, em 1879. O pinscher fez com que ele ficasse com o subpelo castanho, o
wolfspitz deixou com que ele ficasse com a coloração sal e pimenta e a textura áspera do pêlo.
Nos Estados Unidos à raça foi classificada como Terrier, ainda que para os criadores alemães seja
necessariamente uma raça de trabalho. As suas principais funções são caçador de ratos,
companhia e guarda. Ele também era muito usado para acompanhar carroças e carruagens em
viagens através da Europa, sua presença era ótima para inspecionar o caminho.

Características gerais

Origem: Alemanha
Altura: de 45 a 50 cm
Peso: 14 a 20 kg
Utilização: Guarda e Companhia
Expectativa de vida: cerca de 15 anos
Cores: Sal e pimenta; preto sólido
Pelo: é duro, enquanto o subpêlo é macio e denso, não solta pelo mas precisa ser escovado
frequentemente. Para manter o Schnauzer com sua silhueta característica, o pelo do dorso e crânio
pode ser tosado, ou opta-se pelo stripping, que mantém o pelo com a textura adequada ao padrão.
Aspectos gerais: Estatura média, quadrada e ossatura forte. Uma característica geral é sua
barbicha e suas sobrancelhas ligeiramente arqueadas quase tapando os olhos. Os machos
aparentam ser mais curtos do que as fêmeas.
Temperamento: Inteligente, fiel, persistente, carinhoso, alegre, incorruptível e dedicado ao dono.

Características morfológicas

Cabeça: Retangular, forte, alongado e diminuindo levemente da largura das orelhas para os olhos e
destes para a ponta do nariz. O comprimento total da cabeça é aproximadamente igual à metade do
comprimento do corpo, medido á inserção da cauda. A linha superior do focinho é paralela á linha
superior do crânio. Existe um ligeiro stop, que é acentuado pelas sobrancelhas.
Olhos: Médios, ovais, da cor marrom escuro. De forma oval e expressão inteligente e alerta.
Orelhas: Dobradas e caídas, de inserção alta, em forma de "V" ; as bordas internas das orelhas
repousam sobre as bochechas. São voltadas para frente e portadas simetricamente. A dobra é
paralela e não deve ultrapassar o topo do crânio. O padrão oficial da FCI não menciona orelhas
cortadas, prática que já foi comum nessa raça. No Brasil, o corte de orelhas foi proibido pela
Resolução 887 do Conselho Federal de Medicina Veterinária em 2008.
Dentes: Mordedura em tesoura, com dentição completa (42 dentes). Dentes fortemente
desenvolvidos e brancos.
Pescoço: Moderadamente longo e bem arqueado, adaptando-se perfeitamente com os ombros.
Com pele lisa sem barbelas.
Corpo: Curto e densidade com o peito descendo no mínimo aos cotovelos. Costelas arqueadas,
profundas e estendendo-se para trás de modo que encurta o lombo e os flancos. A linha inferior
não pode esgalgar o ventre. O comprimento do peito a nádega deve ser igual à altura da cernelha.
Linha do dorso reta e forte, inclinando-se brandamente da cernelha à cauda.
Quartos Dianteiros: Pernas dianteiras retas e paralelas de qualquer lado que sejam vistas.
Separadas por um grande peito impedindo de uma frente chata. Ombros chatos, pouco angulados,
cernelha alta.
Quartos Traseiros: Forte e musculosos. Coxas inclinadas, bem anguladas no joelho. A angulação
deve ser tal que em pose parada, a jarrete fique abaixo da cauda. O quarto traseiro nunca pode ser
mais alto do que os ombros.
Pés: Pequenos, arredondados e compactos. Dedos arqueados e unidos. Almofadados plantares
preta e grossa. As unhas escuras ou pretas.
Cauda: Natural, sendo o objetivo que tenha o formato de foice ou sabre. O padrão da FCI não
descreve cauda cortada, prática que já foi comum na raça. No Brasil, o corte de cauda foi
considerado procedimento cirúrgico não recomendável pela Resolução 887 do Conselho Federal
de Medicina Veterinária em 2008.
Movimentos: Flexível, elegante, ágil, livre e com boa cobertura de terreno. As pernas dianteiras
mantêm-se paralelas, os cotovelos juntos ao corpo e os pés não devem pisar para dentro ou para
fora. As pernas traseiras, vistas de trás também ficam paralelas principalmente os metatarsos
(parte do pé entre o tarso e os dedos). Vendo de lado as pernas dianteiras têm um bom alcance e
as traseiras têm propulsão forte.

Schnauzer gigante

O schnauzer gigante é uma raça de cão considerada grande, poderosa e compacta. É uma das
diversas raças de schnauzer. Como a maioria das raças grandes, esta também necessita de uma
quantidade considerável de exercícios.
Aparência

O schnauzer gigante possui pelagem externa áspera, e a interna é densa e macia. A cor é preta ou
de pimenta-e-sal. Pesa entre 32 e 45 quilogramas e medem entre 59 e 70 centímetros.

Comportamento

O schnauzer gigante é um cão grande, poderoso, dominante e que necessita de um treinamento e
um alimentador consistente.
O treinamento adiantado e consistente é necessário pois o Schnauzer Gigante tende a ser muito
intencional. Sua habilidade de compreender um comando nem sempre pode ser traduzida em
obediência. Um schnauzer gigante bem treinado responderá velozmente e poderá aprender
comandos muito rapidamente.

Saúde

Sua expectativa de vida é de aproximadamente 11 ou 12 anos.

História

Esta raça se originou na Alemanha, durante a Idade Média, através do Schnauzer padrão. Tornou-se
popular por servir como cão de pastoreio, mas sua maior necessidade de alimento, em
comparação com algumas outras raças, fizeram com que se tornasse menos popular,
principalmente para fazendeiros com orçamentos apertados e com recursos limitados.
Sua popularidade cresceu outra vez no final do século 19, principalmente por poder ser usada como
cão de guarda.



  Mais notícias da seção Cães no caderno CÃES
10/04/2011 - Cães - Shar Pei
LEIA MAIS......
10/04/2011 - Cães - São Bernardo
LEIA MAIS......
20/12/2010 - Cães - Pinscher Miniatura
LEIA MAIS...
20/12/2010 - Cães - Poodle
LEIA MAIS...
08/12/2010 - Cães - Pequinês
LEIA MAIS...
08/12/2010 - Cães - Yorkshire Terrier
LEIA MAIS...
08/12/2010 - Cães - Maltês
LEIA MAIS...
08/12/2010 - Cães - Boxer
LEIA MAIS...
08/12/2010 - Cães - Rottweiler
LEIA MAIS...
08/12/2010 - Cães - American Pit Bull Terrier
LEIA MAIS...
08/12/2010 - Cães - Bichon Frisé
LEIA MAIS...
08/12/2010 - Cães - Basset Hound
LEIA MAIS...
08/12/2010 - Cães - Beagle
LEIA MAIS...
08/12/2010 - Cães - Akita Inu
LEIA MAIS...
07/12/2010 - Cães - Spitz alemão
LEIA MAIS...
07/12/2010 - Cães - Dálmata
LEIA MAIS...
07/12/2010 - Cães - Old English Sheepdog
LEIA MAIS...
07/12/2010 - Cães - Cocker spaniel inglês
LEIA MAIS...
07/12/2010 - Cães - Shih-Tzu
LEIA MAIS...
06/12/2010 - Cães - Chihuahua
LEIA MAIS...
06/12/2010 - Cães - Lhasa apso
LEIA MAIS...



Capa |  Noticías
Busca em

  
26 Notícias